Poesia em Prosa: Momento Mágico (ou A Poesia Assustadora).



Culta e bela, quase carioca
Íntima das freudianas ilações
Hábil fotógrafa das européias arquiteturas
Suave companhia ao pôr do sol
Jovial presença que transforma
Uma simples caminhada
Em um dia especial, uma tarde especial
Coroada por um esplendoroso luar, único.
A bossa nova de tuas encantadoras palavras
Aquele idílio gostoso que nos faz esquecer
A distância percorrida, lado a lado
Que nos desidrata, mas que nos recompensa
Com o néctar sagrado do litoral nordestino.
Marco Zero de uma jornada
Que não se sabe aonde vai dar
Mas, que teve gosto de quero mais um muito
Apesar da minha indisfarçável timidez
E do nervosismo que te fez falar o tempo todo
Sobrou o arrependimento do beijo que não roubamos.
As cientistas comportamentais deviam ser poetisas, como você,
Que viu uma estrada amarela lebloniana
Que começava à beira-mar
E terminava aos pés da invejosa lua
Que tentava, em vão, roubar
O brilho daquele momento mágico...
Tive vontade de fazer como os cariocas
E aplaudir de pé, decretando,
Quero tudo de novo, de novo, e de tudo.


Raimundo Freire.




Comentários

  1. Adorei,é melhor ainda quando sabemos do que se trata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por seu comentário, embora você não tenha se identificado, fico feliz que você tenha gostado.

      Excluir
  2. Autorizo a reprodução total desse texto, desde que citado o autor e o site. Obrigado.

    ResponderExcluir

Postar um comentário