Poesia em Prosa: Flores Para Quem As Devia Ter Enviado.



Qual o segredo das flores
Que vejo no mundo?
Qual o perfume das flores
Que sinto em você?
Qual o recado das flores
Para a silenciosa humanidade?

Se tens tempo para parar e observar
Uma flor à beira do caminho
Se tens tempo para sentir
O perfume que ela exala
Você já se transformou
Em uma flor...Viva.

Se não tens tempo para parar e observar
Uma flor à beira do caminho
Se não tens tempo para sentir
O perfume que ela exala
Você ainda é pedra...Morta.

Flores de malmequer
Flores de bem-me-quer
Rosas, ladras do poeta Cartola
Como elas, me atrevo constantemente
A roubar teu perfume de mulher florida...

Indiferença em relação a flores
A psiquiatria já determinou:
É sintoma de depressão profunda
Evidência de melancolia
Mulheres que não gozam de noite
Homens que não amam de dia.

Flores para escolher a mulher amada
E dizer-lhe o quanto é desejada.
Flores para dar um último adeus
Àqueles que nos deixaram
Com flores que nunca foram dadas.

Flores ofertadas em sinal de admiração
Flores murchas pedindo perdão
Rosas ofertadas no dia dos namorados
Rosas carentes que muitas mulheres
Acreditem, enviam a si mesmas...
Mulher sábia que envia para seu homem
As flores que ele devia lhe ter enviado.

Perfume das mulheres-flores
Mecanismo evolutivo
Que permite que as flores sejam fecundadas
Polinizadas pelos homens-abelha, abelhudos
Com seus ferrões nada românticos
E com sua feia mania de voar de flor em flor.

Mas para ti, minha flor
Aquela para quem meu coração foi feito
No jardim da alegria ou da dor
Arranco sem dó do meu peito
A flor do meu único amor.


Raimundo Freire

Comentários