Prosa Poética : Fragmentos



Peguei a sacola das minhas ilusões
E saí juntando os fragmentos de mim
Que deixei pelo caminho, ao vento
Como conchas na beira da praia
Esperando que alguém as recolha
Para fazer seus castelos de areia
Mas não, não se fazem castelos jamais
Com pedaços alheios esquecidos
Castelos são feitos de sonhos
Guardados nas suas mãos em concha.
Fragmentos guardados no peito
Em forma de sentimentos
Acabam escorrendo pelos olhos
Se precipitando em forma de lágrimas
Nas areias da praia que caminhei com você
Fragmentos depositados aos teus pés
Como ondas apagando as pegadas
Desenhadas por cada beijo teu em mim
Fragmentos que escorrem pelos dedos
Em forma de poesia multicolor
Como gotas no oceano das paixões
Pequenas, mas unidas e inseparáveis
Como minhas mãos unidas às tuas 
Te conduzo para além da arrebentação
Onde o mar é calmo e o amor é profundo
Onde nossos fragmentos se juntam
E se tornam eternidade...


Raimundo Salgado Freire Júnior

Comentários

  1. Linda poesia. Profunda e apaixonada.
    Abraços.
    Edhy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado minha amiga.

      Ha quanto tempo não te encontrava por aqui!

      E como fico feliz em te ver por aqui.

      Seja sempre muito bem vinda.

      Volte sempre e muito.

      Um abraço bem apertado!

      Excluir

Postar um comentário