Musa da Delicadeza



Abriu a porta, toda reluzente
E o tempo obediente parou
Teu sorriso iluminou o ambiente
Meu coração, de contente, disparou

E eu ali estrategicamente sentado
Vejo entrar a musa do gesto delicado
Aproveito pra escutar tua respiração
Ler teus lábios com admiração

Analiso teu gesto elegante
Teus olhos, joia rara, brilhante
Encontrar a delicadeza do teu olhar
Foi como a praia que encontra o mar

Muito silêncio, tanto significado
Cabelo solto, cabelo amarrado
Uma calça preta, uma calça branca
E a tarde fica mais bela e franca

Quando não vens, os correderes
Mais parecem campos sem flores
Solitários desertos de beleza
Carentes, sem saudar vossa alteza

E vejo a maciez das tuas mãos nuas
Me perco, sonho beijando as duas
Sonhei com você, que era mais que amigo
Que no meu peito, um dia, faria teu abrigo

Nascia belo dia, e como cavalheiro medieval
Te conduzia a uma florida catedral
Brilhava teu rosto formidável e risonho
E ao teu lado realizava meu sonho.

Murchavam as ilusões da vida
E a minha musa inspiradora, querida
Minha quimera doce, delicada, inatingível
Disse sim, e meu sonho se fez possível...


Raimundo Salgado Freire Júnior




Comentários

Postar um comentário