O Tempo Parou Naquele Abraço



Por um átimo, o tempo parou naquele abraço
E como presa que não quer sair do laço
Me entreguei aquele momento inesquecível
Encontro de almas, uma alegria indescritível

Uma sublime sensação de paz e carinho
De proteção que só se encontra no ninho
Foi como ver estrelas em pleno dia
Instante iluminado, verdadeira epifania

Do meu abraço aflorou um sentimento
Que escondo no peito em aprisionamento
Até quando inutilmente resistirei a teu sorriso?
Se ele contém exatamente o que eu preciso.

Agradeço a você por aquele segundo infinito
Um lindo poema que ainda nem foi escrito
Fui arrebatado pelo toque suave da tua pele
Minha musa, meu sonho, minha deusa...

Raimundo Salgado Freire Júnior

Comentários